RSS

Arquivo mensal: março 2013

Não deixe o mar te engolir

Passei “quase” o dia todo pensando em o que escrever sobre a morte do Chorão. Então cheguei a seguinte conclusão:

– Nunca comprei um CD da banda;

– Nunca baixei uma música;

– Nunca fui a um show;

– Nunca curti a página do Facebook “Frases do Chorão”.

Com esses “nuncas”, não conseguia responder a mim mesma “por que me sinto abalada com a morte do Chorão, sendo que a banda (para minha humilde pessoa), tinha acabado há tempos?”.

Uma única palavra como simples e verdadeira resposta: nostalgia.

Tenho vinte e poucos anos. Quando o Charlie Brown Jr começou a fazer sucesso, eu era apenas uma criança que assistia a MTV escondida da minha mãe (medo de levar uma surra por ver um canal que não era de desenhos – foi neste tempo que descobri muita música boa).

Em alguns destes momentos, me deparava com os clipes da banda e começava a cantar junto. Sem esquecer que comecei a assistir “Malhação” por conta de uma música deles (e que eu queria ter assunto para falar com minhas “coleguinhas” de classe – não gostava muito das histórias).

Charlie Brown Jr

Charlie Brown Jr

E com o passar dos meses (e anos) as músicas da banda foram emplacando sucesso nas rádios e no Disk MTV. Afinal, não existia Youtube para você escutar na hora que quisesse.

O tempo foi passando, e o gosto musical ficando mais “refinado”. Deixei de escutar Charlie Brown Jr para conhecer outras bandas de estilos e letras diferentes (foi um momento tão intenso da minha vida que até estourei o supercílio). É como deixar a boneca de lado e começar a pensar em garotos e maquiagem (no caso, Charlie Brown Jr seria a boneca).

Até que um dia, o cara que escrevia letras como “não deixe o mar te engolir” (meus nove anos não me deixavam compreender perfeitamente o significado desta música) é encontrado morto. É como se alguém tivesse revirado uma caixa que você guarda coisas antigas, roubado um dos brinquedos que você curtia. Com isso você faz associações a sua infância, que te deixa nostálgico. Enfim, mexeram em algo que você não gostou.

Essa é a sensação que sinto. A perda de um “brinquedo” significativo da minha infância/pré-adolescência. Escutar as músicas desta banda fazem com que essa nostalgia apareça, e os bons momentos também.

Cada um tem seus problemas e procura a solução que acha necessária. Não vou discutir o motivo da morte do Chorão. Deixo apenas registrado o meu sentimento de perda.

Vai na paz

Vai na paz

–Só gostaria de saber se o Chorão conseguiu descobrir se azul é a cor da parede da casa de Deus–

 
1 comentário

Publicado por em 7 de março de 2013 em O que aprendi

 
 
%d blogueiros gostam disto: