RSS
Imagem

Um dia sem rock não significa nada… Long live! \m/

Um dia sem rock não significa nada... Long live! \m/

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 13 de julho de 2013 em Primórdios do Rock

 

Não deixe o mar te engolir

Passei “quase” o dia todo pensando em o que escrever sobre a morte do Chorão. Então cheguei a seguinte conclusão:

– Nunca comprei um CD da banda;

– Nunca baixei uma música;

– Nunca fui a um show;

– Nunca curti a página do Facebook “Frases do Chorão”.

Com esses “nuncas”, não conseguia responder a mim mesma “por que me sinto abalada com a morte do Chorão, sendo que a banda (para minha humilde pessoa), tinha acabado há tempos?”.

Uma única palavra como simples e verdadeira resposta: nostalgia.

Tenho vinte e poucos anos. Quando o Charlie Brown Jr começou a fazer sucesso, eu era apenas uma criança que assistia a MTV escondida da minha mãe (medo de levar uma surra por ver um canal que não era de desenhos – foi neste tempo que descobri muita música boa).

Em alguns destes momentos, me deparava com os clipes da banda e começava a cantar junto. Sem esquecer que comecei a assistir “Malhação” por conta de uma música deles (e que eu queria ter assunto para falar com minhas “coleguinhas” de classe – não gostava muito das histórias).

Charlie Brown Jr

Charlie Brown Jr

E com o passar dos meses (e anos) as músicas da banda foram emplacando sucesso nas rádios e no Disk MTV. Afinal, não existia Youtube para você escutar na hora que quisesse.

O tempo foi passando, e o gosto musical ficando mais “refinado”. Deixei de escutar Charlie Brown Jr para conhecer outras bandas de estilos e letras diferentes (foi um momento tão intenso da minha vida que até estourei o supercílio). É como deixar a boneca de lado e começar a pensar em garotos e maquiagem (no caso, Charlie Brown Jr seria a boneca).

Até que um dia, o cara que escrevia letras como “não deixe o mar te engolir” (meus nove anos não me deixavam compreender perfeitamente o significado desta música) é encontrado morto. É como se alguém tivesse revirado uma caixa que você guarda coisas antigas, roubado um dos brinquedos que você curtia. Com isso você faz associações a sua infância, que te deixa nostálgico. Enfim, mexeram em algo que você não gostou.

Essa é a sensação que sinto. A perda de um “brinquedo” significativo da minha infância/pré-adolescência. Escutar as músicas desta banda fazem com que essa nostalgia apareça, e os bons momentos também.

Cada um tem seus problemas e procura a solução que acha necessária. Não vou discutir o motivo da morte do Chorão. Deixo apenas registrado o meu sentimento de perda.

Vai na paz

Vai na paz

–Só gostaria de saber se o Chorão conseguiu descobrir se azul é a cor da parede da casa de Deus–

 
1 comentário

Publicado por em 7 de março de 2013 em O que aprendi

 

Clássicos do Futuro

kiss_fm

Foi ao ar hoje o primeiro “Clássicos do Futuro”, novo programa da rádio Kiss FM de São Paulo. A nova aposta da emissora, que se tornou referência quando o assunto é rock n´roll, promete apontar os futuros grandes clássicos do rock. O programa conta com a apresentação de Marcelo Andreassa e vai ao ar de segunda a sexta, às 15h.

Como uma fã louca pela Kiss é óbvio que acompanhei o primeiro programa na íntegra.

Não se iluda ou fique triste pensando que vai ouvir as novas “bandas dos últimos tempos da última semana”. O que deu pra sentir é que vamos ouvir os velhinhos de sempre com os seus novos sons. O que é lindo!

Minha modesta opinião? O programa já é sucesso e certamente vale a audiência!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 4 de fevereiro de 2013 em Eu fui, vi, ouvi e acho que...

 

Tags: , , , , ,

São Paulo Rock 70

Pra quem tá de bobeira em São Paulo a boa pedida é o projeto “Sonoridades São Paulo Rock 70”. Além dos shows que vão rolar durante os meses de janeiro e fevereiro, o projeto também conta com uma exposição de fotos revelando os momentos marcantes da história do Rock Nacional nos anos 70.

Confira a programação completa no site do SESC Belenzinho: http://bit.ly/10sSZLf

Rita Lee - 1977 - Refestança - Rita Lee e Gilberto Gil

Vale lembrar que a exposição é gratuita e você ainda conta com uma sala especial cheia de puffs para relaxar ao som de Novos baianos, Raul Seixas, Mutantes, Secos e Molhados, Casas das Máquinas, entre outros.

Os fones e iPods são individuais, então você não corre o risco de ouvir o que não quer.

Rock on!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 26 de janeiro de 2013 em Eu fui, vi, ouvi e acho que...

 

Tags: , , , , , , , ,

A volta da rádio rock

radio rock

Com a volta da rádio rock, 89FM, pro dial de São Paulo, impossível não lembrar dos velhos tempos de Street Rock no Parque do Ibirapuera.

Se você tem entre 25 e 30 anos hoje, provavelmente se lembra dos porres de vinho barato e das tardes de domingo ao som de inúmeras bandas independentes. O preço do ingresso era 1 kg de alimento. Quer maneira mais barata de se consumir Rock n´Roll quando a única renda que você tem é a do sutiã?

Claro que as coisas mudaram e hoje em dia eu não ousaria botar o pé naquela zona. Mas vale sempre lembrar do que foi bom um dia e fez da gente o que somos hoje.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 17 de janeiro de 2013 em Eu fui, vi, ouvi e acho que...

 

Tags: , , ,

Dia do orgasmo

Hoje é dia do orgasmo. Pra homenagear esse dia que amanheceu tão lindo, só pra alguns, fizemos uma lista com os 6 maiores pegadores da história do rock.

 

6. Paul Stanley guitarrista e vocalista do Kiss

 

5.  Gene Simmons vocalista e baixista do Kiss

4. Keith Moon baterista do The Who

3. A polêmica Courtney “Crazy” Love

2.Tommy Lee baterista do Motley Crue

1. O primeiro lugar é do super pegador Mick Jagger

 
Deixe um comentário

Publicado por em 31 de julho de 2012 em Batalha Notícias

 

Tags: , , , , ,

A invasão inglesa

O cenário musical inglês andava bem agitado nos anos 60. A visita de alguns dos astros americanos da primeira geração do rock, desencadeou no surgimento de 350 bandas “amadoras” na terra da rainha.

Considerada uma banda revolucionária, os “Fab Four” desembarcaram nos EUA em 1964 e mudaram o comportamento da geração dos anos 60 com suas letras marcantes e um visual totalmente fora dos padrões.

Das baladas pop ao rock psicodélico trabalhados de maneira inovadora, os Beatles se tornaram a banda mais popular da história do rock.

Depois que a Beatlemania se alastrou feito praga, o rock inglês conquistou de vez os corações na terra do Tio Sam.

Em 1965, o top 10 anunciava uma outra banda como principal representante da invasão inglesa:

Com 50 anos de carreira, The Rolling Stones é uma das mais antigas bandas ainda na ativa.

Apaixonados por Blues e Rock n’roll, os Stones se lançaram como uma banda de R&B em 1962.

Uma curiosidade: segundo Jagger, a música Sympathy for the devil  foi inspirada por uma visita a um centro de candomblé na Bahia.

Muitas outras bandas marcaram esta fase e entraram pra história na batalha do Rock inglês por reconhecimento.

The Who formada em 1964

The Yardbirds que teve em sua composição músicos como Eric Clapton, Jeff Beck e Jimmy Page.

Led Zeppelin, formada em setembro de 68.


Pra finalizar, The Animals! \m/

 
Deixe um comentário

Publicado por em 25 de julho de 2012 em Invasão Inglesa e os anos 70

 

Tags: , , , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: